Início Eletrobras: Descubra se vale a pena investir na Eletrobras via FGTS ou corretora

Eletrobras: Descubra se vale a pena investir na Eletrobras via FGTS ou corretora

por Leonardo Monteiro
0 comentário
INVESTIR FGTS NA ELETROBRAS

O processo de capitalização da Eletrobras abre a possibilidade para os brasileiros com recursos no FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) investirem na empresa.

De acordo com especialistas ouvidos pelo CNN Brasil Business, colocar parte do fundo nas ações da companhia via FGTS pode ser interessante para obter um rendimento maior no longo prazo, mas os interessados devem estar cientes dos altos custos em relação a uma corretora.

Com a desestatização da empresa, trabalhadores de qualquer setor que tenham recursos no FGTS poderão utilizar até 50% do fundo para comprar ações da empresa. O mecanismo usado para este processo é o Fundo Mútuo de Privatização, criado em 2000, e já usado em outros casos, como na Vale e na Petrobras.

Para Sidney Lima, analista da Top Gain, as possibilidades futuras para as ações da Eletrobras após o processo de capitalização são positivas, principalmente na comparação com o rendimento do FGTS.

“Considerando a rentabilidade do FGTS, acho muito mais válido a alocação do capital vinculado ao FGTS pela ótica do longo prazo, considerando que os resultados da Eletrobras deverão ser crescentes, o que tende a beneficiar a companhia com rendimentos acima do FGTS”, disse.

“Vale ressaltar que tal manobra de privatização também tende a abrir as portas a novas parcerias e captação de investimentos que tendem a otimizar a receita da empresa”, completou.

Leia Mais

  • Eletrobras deve ganhar eficiência, mas efeito em tarifas é incerto, dizem analistas

     

  • Como usar o FGTS para comprar ações da Eletrobras durante a capitalização

     

  • Com capitalização, potencial de investimento da Eletrobras vai a R$ 13 bi por ano

     

Atualmente, o rendimento do FGTS é de 3% ao ano + a TR (Taxa Referencial), que varia diariamente. Por ser um fundo que irá comprar ações da Eletrobras, não é possível saber quanto o dinheiro alocado ali irá render, dado a característica de renda variável que ele carrega.

O problema, no entanto, é que investir por meio de um fundo, como é o caso do investimento do FGTS, traz custos maiores do que comprar as ações por uma corretora.

“O fundo é que investe nas ações e cobra taxa de administração. Então ele é mais caro do que investir via corretora. Outro ponto é que o investidor precisa ficar ao menos 12 meses no fundo da Eletrobras. Caso queira sair antes, não poderá”, explica Virginia Prestes, professora de finanças da FAAP e sócia da The Hill Capital.

Ainda não foi divulgada a taxa de administração do fundo da Eletrobras, mas os da Petrobras, por exemplo, variam de 2,20% ao ano a 0,95% ao ano. Já nas corretoras, o custo da corretagem na compra de ações varia entre a gratuidade e cerca de R$ 10 por ordem.

Segundo Prestes, há diferenças também na taxação do lucro, com a balança pendendo positivamente para a compra via corretora.

“Além disso, se o fundo render mais que o FGTS, ele pagará 15% de Imposto de Renda do que render.

Enquanto que na corretora, se ele lucrar até R$ 20 mil, o investidor também acaba se beneficiando da isenção que existe para a pessoa física e não pagando IR”, disse.

Aplicar o limite de 50% ou menos?

A possibilidade de alocar o dinheiro do FGTS em algo que poderá render mais no futuro parece sedutora, mas os interessados devem ter cautela. Isso porque, de acordo com especialistas, o dinheiro do fundo de garantia normalmente é utilizado em emergências ou na compra de imóveis e, no fundo da Eletrobras, ele poderá ser reduzido.

“O FGTS é normalmente utilizado para compra de imóvel, um dinheiro pensado na estabilidade e em um cenário de desemprego.

Quando ele faz esse investimento, que parece ser bom por causa da privatização, acaba podendo perder parte daquele recurso ou se desesperam com qualquer desvalorização e vendem, amargando prejuízo”, disse Enrico Cozzolino, head de análise da Levante.

De acordo com Virginia Prestes, apesar da possibilidade de alocar 50% do FGTS, é importante fazer uma análise de risco e um balanço na carteira de investimentos antes da tomada de decisão.

“É interessante mensurar se os 50% do FGTS fazem sentido em um investimento e não terão um espaço grande demais dentro da carteira. Talvez valha a pena colocar menos de 50% para não ficar super alocado”, completou.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Veja se vale a pena investir na Eletrobras via FGTS ou corretora no site CNN Brasil.

You may also like

Deixe um Comentário

Site de notícias do Brasil e do Mundo informação.