Com torneio integração muito bem organizado, FlaBasquete tem 1 vitória em 2 jogos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
FlaBasquete Redação Rubro-Negra
Certicação por Equivalência em 45 dias

O torneio integração veio para ajudar na preparação das equipes para o Novo Basquete Brasil. Como o estado de São Paulo tem um estadual fortíssimo, o torneio veio para ajudar algumas equipes a não entrarem cruas no campeonato.

Nesta temporada, além da anfitriã Unifacisa, participaram do torneio o Minas Tênis Clube e o Flamengo, mas com toda certeza o grande destaque deste torneio foi a volta do publico.

O Unifacisa que passou a temporada passada inteira viajando pelo Brasil jogando em bolhas sendo que nenhuma delas foi em casa, desta vez não apenas jogou em casa, como também pode ter o apoio de uma apaixonada torcida.

FlaBasquete 1 vitória e 1 derrota.

No torneio, o orgulho da nação estreou contra o Minas Tênis Clube vencendo a partida por 96 a 86, o Minas que havia vencido a equipe anfitriã no dia anterior por por 85 x 68.

Já nesta noite o Mengão após 35 vitórias consecutivas, perdeu. A equipe do Unifacisa em jogo de extrema luta fez 90 x 88 e tirou a grande invencibilidade de tantas histórias do FlaBasquete.

Mesmo com a derrota o torneio Integração ficou com o Flamengo que acabou sendo decidido pelo saldo de cestas uma vez que cada um no torneio obteve 1 vitória e 1 derrota.

Flamengo terminou com saldo positivo 8, o Minas Tênis Clube terminou com 7 e a Unifacisa com saldo negativo 13.

As ausências do FlaBasquete.

Estes foram apenas os 2 primeiros jogos deste grande esquadrão formado pelo FlaBasquete. Não se pode fazer uma analise cirúrgica em cima de uma estreia, onde vários jogadores teveram o primeiro contato uns com os outros. Mas uma ideia de esboço de time deu para ter.

Lembrando que Dar Tucker acabou nem jogando mesmo estando no banco de reservas, por ter sido o último a se apresentar ao clube, estando em um estagio de preparação abaixo dos outros.

O argentino Franco Balbi continua se recuperando em evolução avançada de sua cirurgia no joelho com previsão de volta para dezembro.

Luke Martinez é outro que só estreia em dezembro porem pelo motivo de estar disputando o campeonato de basquete Mexicano.

E o jovem argentino Esteban Caffaro que lesionou o ombro em um dos treinos e acabou desfalcando o time nestes 2 jogos.

O importante é a evolução gradativa de cada um.

Em jogos como estes, o mais importante é dar ritmo ao time, rodar todo o elenco e começar entender em que momento cada peça se encaixará melhor para cada situação.

A falta de ritmo ficou perceptiva, mas alguns destaques podemos fazer.

Yago Mateus por exemplo mostrou o quanto pode continuar atazanando a vida dos adversários. Mesmo exagerando ao forçar uma jogada no final da partida conta o Unifacisa, reflexo de começo de temporada, ele foi na média o melhor jogador Rubro-Negro nas 2 partidas.

Faverani e Robinson mostram cartão de visitas.

Vitor Faverani enfim fez sua estreia jogando em um time profissional no Brasil. A impressão que ficou foi de que o jogador ainda lento e em alguns momentos receoso com algumas jogadas, pegando ritmo e confiança será um monstro. O cara parece um tanque dentro do garrafão.

Brandon Robinson teve melhor apresentação na primeira partida assim como Faverani, porém o saldo foi muito positivo.

O americano mostrou que quando estiver com as mãos calibradas será difícil de ser parado. O jogador mostrou que mesmo quando contestado parece ter uma mira na mecânica de arremesso.

Túlio da Silva é um que pode surpreender. Mesmo demonstrando algumas vezes afobação em definir jogadas, quando entrar no ritmo do técnico Gustavo de Conti promete ser uma grata surpresa.

Fabian Sahdi e JP Batista.

O pivô JP Batista voltou ao time onde conquistou o seu único NBB. Foram 2 jogos abaixo do que o pivô pode mostrar, porem a falta de ritmo mostrou que alguns jogadores sentem um pouco mais que outros.

A resposta do físico acaba sendo diferente para cada um.

Já o armador argentino Fabian Sahdi teve momentos de belas jogadas, que podem se potencializar durante a temporada.

O Rei da Raça, o Cria e o melhor defensor do país.

Rafael Rachel teve minutos consideráveis no torneio. Gustavo de Conti deu indícios que utilizará mais o cria e ele correspondeu bem.

Já Rafa Mineiro mesmo ainda abaixo com seu ritmo, teve aqueles lampejos de grande defensor que é.

Olivinha fez uma bela partida no primeiro jogo, e foi mais contido no segundo mas sempre deixando tudo em quadra com jogadas que parecem que só acontecem por ser o Olivinha.

Gustavo de Conti.

O técnico Gustavo de Conti variou bem a rotação fazendo formações diversas sabendo que com elenco que tem precisará de todos em uma temporada tão longa.

O Flamengo volta as atenções agora para o campeonato estadual e depois para a estreia do Novo Basquete Brasil.

O torcedor precisará ter paciência pois o FlaBasquete ainda ira passar por estágios de adaptação durante a temporada. São novos jogadores que terão que se adequar ao jogo do Gustavinho, e claro o técnico que aos poucos saberá tirar o melhor de cada jogador.

Potencial a equipe mostrou ter, agora é botar em prática e evoluir pois sabemos que o momento ideal para uma equipe chegar ao seu melhor é no momento de decisão.

Leia também aqui no Redação Rubro-Negra

Flamengo e Corinthians acumularam perdas de R$ 139 milhões com estádios vazios em 2020; veja ranking dos mais afetados

O novo processo licitatório do estádio do Maracanã começou nesta quarta-feira.

FlaBasquete estreia elenco no torneio Integração.

Redação Rubro-Negra, o projeto feito e torcedores, para torcedores.

VEJA TAMBÉM

Pedro - Flamengo x Athletico-PR

Pra quebrar o novo acordo

Flamengo encara o fluminenCe, que tem dado sorte em Clássicos não decisivos contra o rubro-negro Tempos atrás o acordo não escrito era com o Vasco.

Bem Vindo ao Redação Rubro Negra