Flamengo, Copeiro & Campeonateiro

Pedro-Redacao-Rubro-Negra

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
O Dia Oficial do Nunca Critiquei

Era um trauma, né? Nem faz muito tempo, jogo do Nosso Flamengo lá na Região Sul gerava aquele risinho maroto e meio amarelo. Um tal de não admitir, mas ainda assim pensar cá com nossos botões: “Ih… Se pá… De repente um empatezinho nessa bagaça aí fica de bom tamanho, né não?”.

E não era só lá. Um pequeno punhado de anos no passado, uma semana como essa de jogos fora contra Grêmio e Santos era, pra dizer o mínimo, tão desanimadora em termos de esperar bons resultados, que dois tropeços nem trariam frustração. Era papo de levantar a plaquinha de “eu já sabia” na cara grande e tentar recuperar o prumo no Maraca na outra semana.

Daí veio 2013. E com ele a aparição histórica do Flamengo A13 e do Flamengo D13.

Não que o próprio tenha sido um ano arrasador, mas ainda assim nos trouxe uma Copa do Brasil. Conquista baseada pura e exclusivamente no fator “ISSO AQUI É FLAMENGO”. Na época chegaram até a falar que foi planejamento. Puro exagero. Não pode ter sido planejado o caminho que nos levou à Taça, passando, dentre outros atalhos, por um gol decisivo saído dos pés do CARLOS EDUARDO no Mineirão.

Mas o Planejamento Todo começou mesmo ali naquele ano. E para nos levar ao tal Outro Patamar em um nível que a gente sequer ousava imaginar na época: a Hegemonia Continental Incontestável, e uma superioridade aqui no nosso Quintal-Rio-de-Janeiro que já vai, sem exagero, até mesmo aniquilando a rivalidade carioca contra Os Três Patetas.

Mesmo que a Fogueira das Vaidades Flamenga tenha gerado discórdia no que lá no começo era apenas a tal Chapa Azul (lembram da enjoativa guerra cromática?), desde sempre se tratou tudo de farinha do mesmo saco. Com tudo de Muito Bom que gerou, e também com o pouco de revés existente em um ou outro momento, já que ninguém no mundo é perfeit… Tá… Talvez o Arrascaeta seja.

Tem pinta de mais três anos de Landim no cargo. E tem pinta também, independente disso, de mais um porrilhão de anos de muitos e muitos títulos pro Nosso Flamengo. Flamém.

O melhor que pode acontecer a curto, médio e longo prazos, é essa gente continuar dividida. Nem que eles simulem isso. É sair um e entrar outro que mantenha a mesma postura administrativa/financeira/desportiva, deixando de fora para Todo O Sempre aquele monte de você-sabe-quem que transformou o meio da tabela do Brasileirão no nosso habitat natural por anos a fio. Isso quando não era pior e a gente ficava naquele flerte imoral e pornográfico com o Z4.

Em 2023 (num instante chega) deveriam haver comemorações além das geradas pelos títulos que certamente conquistaremos. Celebrar oficialmente os dez anos do marco do início de uma nova era. A Era do Flamengo D13.

Porque aconteceu, mas poderia muito bem não ter acontecido. Bastava um detalhe. Algumas dezenas de votos pendendo pro lado errado da balança, e tudo isso que estamos vivendo não passar sequer pelo nosso pensamento. Que horror seria… Que horror.

Ainda bem que o Sonho é Real.

Isso aqui é Flamengo.

PETISCOS

. OS HUMILHADOS SERÃO EXALTADOS. Simbólico esse atropelamento imposto ao Grêmio. Só gol de uma galera que não é exatamente uma unanimidade no gosto da Nação. Foi o Dia Oficial do Nunca Critiquei.

. FAZ SENTIDO. Tá… O futebol é uma caixinha de surpresas e blá-blá-blá. Porém… Porém… O que as Reciclagens Portaluppi faziam nos tempos recentes de Grêmio, catando uns refugos aqui e acolá e botando pra jogar bem, já indicava que, dirigindo um elenco claramente superior ao das demais equipes do país, o treco só podia mesmo gerar bons resultados.

. TEMOS TODO TEMPO DO MUNDO. Quase duas semanas sem jogar após a próxima partida. Um oásis no meio de um calendário que já vem espremido e emendado junto com o da temporada anterior por conta da pandemia. Esperemos que esse tempo extra não faça o efeito contrário. O início da Era Renato é QUASE irretocável. Se melhorar… Estraga.

. LO ATALHO ETERNO. Convenhamos… Nosso caminho esse ano pra tentar chegar a mais uma Final de Liberta e ao Tri da Glória Eterna foi pavimentado com ótimo asfalto, boa iluminação e excelente sinalização. Já prevejo até os antis dizendo que “assim é fácil”. Além do mais, quanto mais Poderoso o Flamengo fica, ano após ano, maior será a sensação de que o caminho ajudou. Mas não é o caminho, é o Flamengo. Melhor o povo do lado de lá aceitar que dói menos.

. MUI AMIGO… Renato arrastou o Rafinha pro Grêmio (ele ainda tava por lá na época da contratação? Tô com preguiça de Google. Vou deixar assim), ele próprio vazou e fez um belo de um upgrade na carreira vindo pro Flamengo… E deixou o cara por lá para passar por essa situação lamentável. Sendo redundante… Lamentável.

MESA DA ARCOIRIZADA

. O HOMEM QUE CALCULAVA. Vi a primeira das projeções matemáticas tratando das necessidades cruzmaltinas para um eventual retorno à Série A. Lá diz que precisa ganhar duas em cada três partidas daqui até o fim da Segundona. Parece então que deu ruim, né?

. AINDA ASSIM. O Botafogo está em situação MATEMÁTICA melhor, rodada após rodada gravitando ali próximo ao G4. Mas daí é o Botafogo. Eh, eh, eh… Eu sou de humanas. Mesmo que a ciência diga o contrário, serei negacionista. Ainda que eu ache que vai dar ruim pra geral (incluindo aí, é claro, o Cruzeiro), nesse caso sou mais o Vasco.

. COERÊNCIA, TEU NOME É fLUMINENCE. Eliminado da Libertadores, perdendo o jogo de ida em casa na Copa do Brasil, e olhando pra parte baixa da tabela do Brasileirão, com míseros dois pontinhos de distância do precipício. Mais tradição que isso só se cair e for pro tapetão fazer sujeirada de novo. Parabéns aos envolvidos. Amo muito tudo isso.

Cola nas redes, Urubu.

mercioquerido@gmail.com
Facebook e Instagram: Mercio Querido
Twitter: @sorinmercio

Bem Vindo ao Redação Rubro Negra