Início Ministério Público faz operação em Batalhão na Baixada e prende 9 Pms

Ministério Público faz operação em Batalhão na Baixada e prende 9 Pms

Ministério Público prendeu o comandante do 15º Batalhão de Duque de Caxias na Baixada

por Pedro Carlos Ferreira
0 comentário
Ministério Público faz operação em Batalhão na Baixada e prende 9 Pms
Ministério Público faz operação em Batalhão na Baixada e prende 9 Pms

Ministério Público encontrou dinheiro dentro do Batalhão

Rio de Janeiro- Baixada Fluminense- Duque de Caxias

Ministério Público realizou operação no 15º Batalhão de Duque de Caxias  encontrou dinheiro e prendeu

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e a Corregedoria da PM   realizaram  na manhã de hoje a Operação Mercenários, 9 policiais foram presos em Duque de Caxias no 15º Batalhão da Polícia Militar, ao todo são 11 policiais procurados por corrupção, tortura, peculato e extorsão.
Segundo o Ministério Público, os policiais citados sequestravam marginais e pediam resgate mediante à tortura e vendiam as armas apreendidas.
A operação se iniciou depois que um aparelho celular de um Sargento foi apreendido e analisado por peritos, nele continha conversas dos esquemas de corrupção, execuções e pedidos de propinas.

Numa das conversas obtidas pelo Ministério Público, os policiais pediam 1 milhão de reais para liberar o chefe do tráfico dos morros Pavão, Pavãozinho e Cantagalo Léo da Marinha.
O comandante do Batalhão de Duque de Caxias teve em seu desfavor um mandado de busca e apreensão, Coronel André Araújo de  Oliveira  que foi destituído do Comando da unidade, O chefe do Serviço Reservado (P2) Capitão Anderson Santos Orrico, preso em Flagrante  também foi alvo e dentro do Batalhão foram encontrados 37 mil reais  em  dinheiro, escondidos atrás de um sofá, o Promotor Marcelo Arsênio declarou que o dinheiro provavelmente é de origem de pagamento do tráfico, as cédulas passarão por perícia.

Ministério Público informou que os denunciados estavam sendo monitorados desde o 24º Batalhão de Queimados onde eram da equipe do GAT

“Os denunciados compunham o GAT do 24º BPM, e durante a análise do aparelho, se percebeu que os denunciados atuavam de forma criminosa, fazendo cobrança de arrego do tráfico, extorquindo comerciantes. Quando os arregos não eram pagos, eles executavam esses traficantes, torturavam“, afirmou Eduardo Pinho, promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ), em coletiva à imprensa. 

Ministério Público cumpriu 35 mandados de busca e apreensão

Os mandados foram expedidos pelo Juízo da Auditoria Militar do Tribunal de Justiça do RJ.
Ao total foram apreendidos 96 mil reais em espécie na casa do Capitão Anderson Santos Orrinco, no total da soma das apreensões em dinheiro vivo foram 133 mil reais.

Na casa do Subtenente Antônio Carlos Santos Alves do Batalhão de Duque de Caxias foram encontrados 120 mil reais em dinheiro, jóias,munições e rádio comunicadores que supostamente foram apreendidos pela quadrilha e não apresentados na delegacia.

Ministério Público faz operação em Batalhão na Baixada e prende 9 Pms

Ministério |Público encontrou na casa de Subtenente dinheiro, jóias, munições e rádios comunicadores do tráfico

 

Ministério Público prendeu:
  1. Adelmo da Silva Guerini Fernandes
  2. Antônio Carlos dos Santos Alves
  3. Marcelo Paulo dos Anjos Benício
  4. Mário Paiva Saraiva
  5. Oly do Socorro Biage Cei de Novaes
  6. Vitor Mayrinck
  7. Francisco Santos
  8. Marcelo Leandro Teixeira
  9. William de Souza Noronha

 

“A partir dos dados extraídos do aparelho, verificou-se que policiais militares lotados no Grupamento de Ações Táticas (GAT) do 24º BPM (Queimados) e na P2 do 21º BPM, valendo-se da função desempenhada nos batalhões, integraram organização criminosa para cometer os crimes citados”, afirma o Ministério Público do Rio de Janeiro.

Adelmo e os denunciados Mário Paiva SaraivaAntonio Carlos dos Santos AlvesDenilson de Araújo SardinhaWeliton Dantas Luiz JuniorFrancisco Santos de MeloMarcelo Paulo dos Anjos Benício e Vitor Mayrinck integravam a equipe Delta do GAT do 24º BPM e, segundo o Ministério Público do Rio, “se aliaram para obter vantagens indevidas, através de acertos de propina com criminosos, em especial traficantes”.

Com isso, de acordo com as investigações do Ministério Público, passaram a fazer parte da organização criminosa outros cinco policiais militares: Marcelo Leandro TeixeiraOly do Socorro Biage Cei de NovaesWilliam de Souza NoronhaFabiano de Oliveira Salgado e Thiago Santos Cardoso.

Uma camisa da Polícia Civil também foi apreendida.

Total do material apreendido

166 minuções de fuzil 556
2 rádios transmissores
5 carregadores de fuzil 556
2 carregadores de fuzil 762

Todos os presos foram levados para Unidade Prisional de Niterói e ficarão à disposição da Justiça Militar

 

Jornalismo Pedro Carlos Ferreira
Siga-nos nas redes sociais

Redação Rede de Notícias

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

You may also like

Deixe um Comentário

Site de notícias do Brasil e do Mundo informação.