Início Feliz Páscoa, São Paulo

Feliz Páscoa, São Paulo

por Leonardo Monteiro
0 comentário

Flamengo, misericordioso, dá chocolate light no tricolor paulista

Sou ateu, mas a convicção religiosa reinante por aí é a de que a Páscoa representa a ressurreição de Jesus, o Cristo. Por coincidência, espero que a vitória de hoje faça morrer essa conversa mimimizenta da ressurreição do outro Jesus, o Jorge.

O Mais Querido foi bem contra o Talleres, o Americano de Córdoba, e em meio segundo uma das torcidas que mais cresce no Planeta Flamengo, a FLA-MAS, já decretou que venceu, MAS não valia de nada, dada a fragilidade do rival. Como se poucos dias antes não tivéssemos enfrentado dificuldades contra o Atlético-GO.

Durante a semana eu venho martelando da importância fundamental dos resultados, e principalmente do desempenho do Flamengo nessa sequência próxima de Brasileirão (São Paulo, Palmeiras e Aflético). A etapa 1/3 foi concluída com sucesso.

Nosso Flamengo começou caindo pra dentro “dicumforça”, deixando claras duas possibilidades: seria uma simples questão de tempo para estufar as redes OU levaria um gol em algum contragolpe traiçoeiro.

E a verdade mais ou menos se fez presente nas duas opções. Jogamos melhor, abrimos o placar, poderíamos até ter ampliado… E os caras foram lá e arrancaram o empate em uma das raras vezes que ameaçaram o gol do Sant… Ah… Quem agarrou foi o Hugo, né? Poooorrraaa, Paulinho, tô fechadaço contigo, mas vê se me ajuda a te ajudar, né filho? 🤣🤣🤣

Mas teve jeito não. No segundo tempo o Flamengo soube fazer valer sua superioridade e teve GOLAÇO DO ISLA QUE EU NUNCA CRITIQUEI🤭🤭🤭, e mais um do Arrascaeta pra firmar o chocolate light pro tricolor. Ficou barato, e quase que o placar acaba ficando mais elástico, como nos encontros recentes entre as duas equipes.

Os três pontos importam, o resultado importa, mas realmente o que vale de montão são as “duas” disposições da equipe: a tática e a da La Intensidad.

No caminho pra casa após o jogo, ouvi resenha de um jornalista ainda batendo na tara recente dos tais “11 iniciais do Paulo Sousa”. Segundo o comentarista, o gajo encontrou essa parada aê. Num intindi foi nada desse comentário. Sigo convicto, e acredito que o nosso técnico também, que não vai rolar essa bagaça. O português aí opera no Modo “Os xxx Iniciais” (sei lá quantos jogadores existem no nosso elenco).

Existem algumas preocupações? Sim. Hoje o São Paulo esteve no Maracanã pra jogar bola. Daí nós criamos as oportunidades e convertemos algumas. Mas… Mas… Na maior parte das vezes vai pintar uma galera pela frente disposta a estacionar um ônibus na entrada da área.

Nas ocasiões recentes em que isso aconteceu, foram graves os problemas pra furar as retrancas. Mas é nítida uma movimentação maior do Nosso Flamengo no que o Tite gosta de chamar de terço final. E isso já pode muito bem ser um encaminhamento da solução.

Espero que o Maior Potencial Problema de Todos, uma suposta desunião entre jogadores e comissão técnica, não tenha passado de disse-me-disse, ou que pelo menos tenha sido resolvida da maneira mais decente: com conversa e sem medidas extremas, onde só quem iria perder algo seria a própria instituição.

No mais… Que venha o evento-teste 2/3 contra o Palmeiras na próxima quarta.

E que mesmo com a presença de Jesus, o Jorge, no Rio de Janeiro pra fazer sei lá o que, parte do povo pare com essa ideia fixa de ressurreição, e de que é esse português algum tipo de Messias. Até em AeroFla eu ouvi falar. Daí o morto seria eu. De vergonha.

Isso sem falar de que se for pra puxar o assunto pra bíblia, Jorge Jesus saiu daqui meio segundo após dizer que ia ficar, o que lembra mais o comportamento de um outro personagem dessa história toda.

Bora comemorar.

Vencer, Vencer, Vencer.

ISSO AQUI É FLAMENGO!!!

Meu Twitter. Cola lá.

You may also like

Deixe um Comentário

Site de notícias do Brasil e do Mundo informação.