Rodrigo Caio e a frequente rotina de lesões

Rodrigo Caio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Melhor zagueiro do elenco não consegue ter boa sequência de jogos pelas constantes lesões

Rodrigo Caio é uma das unanimidades do elenco do Flamengo. Zagueiro de enorme qualidade técnica e liderança, titular absoluto da posição, sempre agradou 100% dos torcedores, comissão técnica, companheiros de time e dirigentes do clube. Tudo estaria perfeito se não chamasse atenção do frequente histórico de idas do jogador ao Departamento Médico do clube em decorrência de lesões, rotina que gera muito prejuízo no desempenho da equipe, sobretudo no tão criticado setor defensivo.

Rodrigo Caio em alto nível na temporada 2019. Fonte: globoesporte.com

Número de ausências por lesão chama atenção

Somando todas as partidas que foi desfalque por algum veto clínico, o Flamengo não contou com Rodrigo Caio em 39 jogos. Desta lista, em 17 foram compromissos pela Libertadores ou duelos mata-mata de Copa do Brasil ou Carioca. Apesar do jogador ter frequentado o DM acima da média no elenco, ele não teve lesões graves no clube. O máximo de jogos perdidos por um único problema foi de 8 partidas como desfalque. Não estão sendo consideradas as ausências por convocações para a Seleção Brasileira, afastamento por contágio da Covid-19 ou poupado por precaução médica.

Rodrigo Caio em recuperação na academia do Ninho do Urubu. Fonte: Diário do Vale

Poucas sequencias de jogos em menos de 3 anos

Desde que chegou, o maior de partidas seguidas foi de 16, entre a 3ª rodada da Taça Rio de 2020 até a 9ª rodada do Brasileirão de 2020. No comando de Jorge Jesus, que não poupava muito os atletas, Rodrigo Caio teve 2 sequências boas de jogos. Uma de 13 partidas seguidas entre a 26ª rodada do Brasileiro de 2019 e a 36ª rodada, com os duelos de semifinal e final da Libertadores daquele ano inclusos no período. Além de uma sequência de 12 jogos seguidos entre a 5ª rodada e a 12ª rodada do Brasileiro de 2019, com jogos pela Libertadores e Copa do Brasil nesse meio.

Rodrigo Caio em trabalho de recuperação no gramado do Ninho do Urubu. Fonte: Lancenet

Desempenho na descendente sem ele

Rodrigo Caio é um pilar importante no time e sua ausência tem feito o Flamengo sofrer mais gols, além de observar uma leve queda no aproveitamento da equipe. Com Rodrigo Caio em campo, o Flamengo tem 72% de aproveitamento e sofre menos de um gol por partida – média de 0,94 por jogo. Sem o zagueiro, na maioria das vezes por lesões, o aproveitamento cai três pontos percentuais e a média de gols sofridos aumenta 13%.

Custo x benefício ainda compensa ou necessário ir as compras?

Indiscutivelmente Rodrigo Caio foi um dos jogadores mais importantes na inesquecível temporada 2019. E muito disso se deve ao fato de que naquele ano ele também viveu uma temporada pessoal atípica no tocante a número de jogos disputados, foram 60 partidas jogando e nenhum afastamento por lesões. As sequencias longas de jogos associadas ao impecável entrosamento com o excelente zagueiro Pablo Mari proporcionaram uma linha defensiva segura. Mari não está mais no clube, os zagueiros contratados não apresentam o mesmo nível técnico, Rodrigo Caio sofre nas temporadas seguintes com lesões e o sistema defensivo caiu muito de produção. Fica a reflexão sobre a decisão entre mantê-lo no clube ou simplesmente fazer uma grande reformulação junto aos jogadores que compõem o sistema defensivo da equipe.

Veja também:

Flamengo vence o Defensa y Justicia no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores

Há 1 ano, Jorge Jesus conquistava seu 5º e último título pelo Flamengo

Bem Vindo ao Redação Rubro Negra