Um Centenário de Estádio e de muita história pra contar no futebol

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Estadio-Centenario-redacao-Rubro-Negra
Certicação por Equivalência em 45 dias
Palco da final da Libertadores 2021 foi testemunha de grandes momentos da história do futebol

Um Estádio que já inspira por história no próprio nome. Ele ainda não é centenário de vida porém em seus 91 anos de existência, o Estádio Centenário, templo sagrado do futebol uruguaio e mundial, é recheado de acontecimentos que entre outras coisas, testemunhou a evolução do futebol sul-americano, o surgimento e atuações de grandes craques de várias gerações e decisões históricas como a final da 1ª Copa do Mundo em 1930. E para aumentar a coleção de grandes decisões, o Centenário receberá a grande decisão da Libertadores 2021 entre Flamengo x Palmeiras, marcada para dia 27 de novembro.

Imponente e histórico Estádio Centenário do Uruguai
Imponente e histórico Estádio Centenário do Uruguai. Fonte: Coluna do Fla

Um Centenário erguido com impressionantes recordes de tempo e baixo orçamento para um Estádio

Depois de ter sido Campeão Olímpico, o Uruguai foi escolhido para sediar a 1ª Copa do Mundo em 1930. Como garantia de que poderia sediar um torneio dessa grandeza, o país se comprometeu a construir um estádio para 102 mil pessoas. O Centenário começou a ser construído do zero em dezembro de 1929, teve sua capacidade reduzida para pouco mais de 70 mil pessoas devido ao pouco tempo para inauguração (embora o recorde de público foi em mais de 79 mil pessoas na semifinal da Copa de 30 entre Uruguai x Iugoslávia), ficando totalmente pronto 7 dias após a abertura da Copa. O preço? 1 milhão e meio de dólares, 3 vezes mais barato que o lendário Wembley da Inglaterra de 1923.

Início da construção do Estádio
Início da construção do Estádio. Fonte: Conmebol

A garra do futebol uruguaio na alma dos operários para erguer um Centenário imponente

Para conseguir entregar o Estádio pronto para a Copa, 1.500 operários trabalhavam em 3 turnos, 24 horas por dia. O arquiteto Juan Antonio Scasso projetou um estádio de forma elíptica com 450 mil m3 e com o campo rebaixando para que os jogos não fossem prejudicados pelos fortes ventos locais. As arquibancadas laterais tem as chamadas Tribunas América e Olímpica. Atrás dos gols, as Tribunas Amsterdã e Colombes, homenagem as cidades francesas onde a Celeste Olímpica conquistou a medalha de ouro no futebol, reconhecimento que também está na Torre de Los Homenagens. O Centenário consumiu 14 mil metros cúbicos de concreto.

Um Centenário que abrigou a 1ª Copa e várias decisões Continentais e Intercontinentais

Enfim, o Estádio abriu as portas para o público em 18 de julho de 1930, data dos 100 anos da primeira Constituição do país e daí a ideia de se chamar Centenário com vitória da Celeste sobre o Peru por 1 x 0, para um público com mais de 57 mil pessoas, rodada de abertura da 1ª Copa do Mundo. Posteriormente, o Centenário abrigou ao longo da história 11 decisões de Libertadores (serão 12 com a decisão desse ano), inclusive o 3º e decisivo e histórico jogo do título da 1º Libertadores do Flamengo na batalha contra o Cobreloa do Chile em 1981. O Estádio recebeu ainda 4 decisões Intercontinentais ou Mundial de Clubes.

O timaço do Flamengo campeão da Libertadores em 1981
O timaço do Flamengo campeão da Libertadores em 1981. Fonte: Oldfootball

Um Centenário de fatos históricos no futebol a espera da nova Glória Eterna rubro-negra

Quis o destino que o Flamengo viesse novamente disputar uma decisão de Libertadores justamente no palco do seu 1º título. Um Estádio com uma belíssima história, testemunha de dezenas de grandes fatos e conquistas. O Centenário, hoje com capacidade máxima reduzida para pouco mais de 60 mil pessoas por razões de segurança e que pode ficar ainda mais reduzido devido a restrição de público por protocolo da Covid-19, se prepara para ser o protagonista de mais uma grande história nos seus gramados. E que essa história tenha final feliz para o mesmo clube que ergueu a taça de Campeão Continental há 40 anos, num 23 de novembro de 1981. No mesmo Centenário.

Zico marcando o 2º gol na vitória contra o Cobreloa no Uruguai que deu o título para o Fla
Zico marcando o 2º gol na vitória contra o Cobreloa no Uruguai que deu o título para o Fla. Fonte: anotandofutbol.blogspot.com

Veja também:

Flamengo apenas empata com o Bragantino pelo Campeonato Brasileiro

Renato Gaúcho dispara contra a CBF

VEJA TAMBÉM

Pedro - Flamengo x Athletico-PR

Pra quebrar o novo acordo

Flamengo encara o fluminenCe, que tem dado sorte em Clássicos não decisivos contra o rubro-negro Tempos atrás o acordo não escrito era com o Vasco.

Bem Vindo ao Redação Rubro Negra