Início Um Flamengo sempre imponente em decisões da Libertadores

Um Flamengo sempre imponente em decisões da Libertadores

por Leonardo Monteiro
0 comentário
Flamengo Bi Campeão Libertadores
Números das equipes campeãs de 1981 e 2019 mostram que o manto sagrado vence com total autoridade em campo

O dia mais importante deste ano para os corações rubro-negros finalmente chegou: O Flamengo entra em campo hoje para disputar a final de Libertadores 2021, somando 3 decisões na sua história, a 2ª em 2 anos. De 1981 para 2019 foi uma longa espera, mas desde a última final, parece até que foi ontem. A ansiedade toma conta da nação rubro-negra e provavelmente a maior parte da torcida mal conseguiu dormir de ontem para hoje. Para acalmar um pouco mais os corações rubro-negros, além dos confrontos contra o Palmeiras, seu adversário da final, amplamente favoráveis nos últimos 4 anos, o Flamengo mostrou que nas duas decisões disputadas da competição da sua história, e campeão nas 2 vezes, não deixa nenhuma dúvida: “vestiu rubro-negro, não tem pra ninguém”.

Flamengo, bi campeão da Libertadores 2019
Flamengo, bi campeão da Libertadores 2019. Foto/Divulgação: ES Brasil

Em novembro de 81… a Libertadores conquistada na base da guerra

No dia 23 de novembro de 1981, o Flamengo fez mais do que nunca valer sua tradição de dar o sangue numa final de campeonato e dessa vez isso aconteceu literalmente. O Cobreloa do Chile tentou conquistar a Libertadores a todo custo, o que nesse caso foram as vias de fato. No formato da competição a época, a decisão ocorreu em 3 jogos, todos muito duros, sobretudo pelo zagueiro chileno Mario Soto e seu anel responsável por derramar sangue nos rostos de Lico e Adílio. Vitória por 2 x 1 no Maracanã, derrota para os chilenos por 1 x 0 no Estádio Nacional em Santiago e Mengão 2 x 0 com 2 gols de Zico no jogo decisivo no Estádio Centenário no Uruguai, mesmo palco da decisão de hoje. Vitória no sangue, na raça e com números absolutos na competição de um verdadeiro campeão: 31 gols marcados em 14 jogos, média de 2,2 gols por partida e consagrando Zico o craque e artilheiro do torneio com 11 gols.

Jogadores do Flamengo comemorando o título contra o Cobreloa-CHI em 1981
Jogadores do Flamengo comemorando o título contra o Cobreloa-CHI em 1981. Foto/Divulgação: Lendas do Futebol

Em novembro de 2019… La Gloria Eterna do Flamengo a moda Portuguesa

Demorou 38 anos mas enfim, a espera na fila terminou. O bi campeonato da Libertadores de 2019 no Peru contra o fortíssimo time do River Plate da Argentina, coroou um dos anos mais mágicos e inesquecíveis da história do Flamengo sob a batuta do técnico português Jorge Jesus que ainda teve o hepta campeonato brasileiro, além de campeão carioca, campeão da Super Copa do Brasil e da Recopa Sulamericana. Um Flamengo de 2019 incansável de conquistar títulos que na vitória por 2 x 0 sobre os argentinos e de virada, mostrou a maior característica do manto sagrado, a de não desistir nunca nos momentos mais importantes e de apresentar um time campeão com números inquestionáveis: Melhor ataque da competição com 24 gols em 13 jogos e consagrando Gabi como craque e artilheiro da competição com 9 gols. La Gloria Eterna de volta na sala de troféus da Gávea e que emocionou demais a nação rubro-negra, ligada no jogo em todo o planeta.

Gabi comemorando seu gol do título do Bi Campeonato da Libertadores
Gabi comemorando seu gol do título do Bi Campeonato da Libertadores. Foto/Divulgação: Gaucha Zero Hora

A inspiração do passado glorioso rumo ao Tri da Libertadores

Como é possível observar, em todas as vezes que o Flamengo se tornou campeão da Libertadores, não foi por acaso, não teve apenas sorte. Foram decisões com muita história importante pra contar dentro e fora de campo, como na decisão de 1981 que além da covardia dos jogadores adversários a apelar para a mais pura violência, ainda teve que improvisar o uniforme para a decisão, pois o equipamento dos jogadores simplesmente foi extraviado no aeroporto. Seja na decisão de 2019 que foi trocada sua sede as pressas, de Santiago no Chile para Lima no Peru devido a fortes instabilidades políticas na sede inicial. Um clube que se reestruturou, se tornando o mais bem organizado das Américas e que tende a tratar decisões de Libertadores como uma rotina, tem em todo o seu passado, tanto o mais remoto quanto o recente, além da ampla estatística a favor contra seu adversário de jogo e finalmente atuando com sua força máxima em campo, compõem os ingredientes que atiçam a inspiração para o Tri Campeonato da Libertadores. La Gloria Eterna mais próxima do que nunca novamente.

Zico marca contra o Cobreloa-CHI e Flamengo conquista a Libertadores em 1981
Zico marca contra o Cobreloa-CHI e Flamengo conquista a Libertadores em 1981. Foto/Divulgação: Anotando Fútbol.

Veja também:

Imprensa uruguaia destaca importância de Arrascaeta para o Flamengo

Torcida mais uma vez deu carinho e Aero Fla deu show!

You may also like

Deixe um Comentário

Site de notícias do Brasil e do Mundo informação.